PROFISSIONAL


Desde Out. 2005 - Editor e tradutor de livros
. Como empresário individual criou a editora DG EDIÇÕES que, desde Novembro 2005 a Junho 2015, publicou 140 títulos de 88 autores.

Desde Set.  1986  - Consultor de Empresas
Em regime de profissão liberal, nas áreas de Gestão, Direcção Comercial, Informática Aplicada, Formação Profissional, Consultadoria Literária.
Algumas empresas e tarefas nelas desempenhadas:   

HUGIN EDITORES, Lda. - Consultor literário. Responsável pela análise e parecer sobre originais, revisão de provas e de traduções, paginação e composição de texto. Tradutor de alguns livros lançados por esta editora e apresentador de outros, no acto do seu lançamento público.
   

CHAVES FERREIRA – Publicações, S. A. - Consultor literário, tradutor e revisor de provas.   

DIEVITA-Instituto Naturista, Lda. - Sócio-gerente, de Maio 94 a Abril 98. (Venda directa de produtos naturais terapêuticos, dietéticos, de higiene e cosmética, através de, presentemente, 3.000 Conselheiras).   

CESO-I&D, SA. - Consultor para a área de "marketing", em estudos e projectos económicos para clientes. Formador dos módulos de Gestão Comercial e Marketing Aplicado, em cursos de post-graduação para economistas, gestores de empresa e sociólogos.   

MAP-Matérias Plásticas, Lda. - Reponsável pelos sistemas de planificação e controlo de vendas (cobertura do mercado potencial, modelização dos canais de distribuição, formação e inspecção de vendedores).   

SAÚDE E PLANTAS, Lda. - Co-responsável pela organização, apoio informático e arranque da empresa. Mais tarde, pela estratégia de recrutamento e motivação das equipas de vendas (Venda directa de produtos dietéticos ).   

ÂMBITO-Organização e Gestão de Empresas, Lda. - Consultor de várias empresas clientes. Formador de cursos de Aplicações Informáticas.

Dez.80 / Ago.86

POLYGRAM DISCOS, SARL Director Comercial Responsável pelos Departamentos de Vendas, Produção e Gestão de Stocks (8 vendedores, 3 comissionistas e 2 administrativos).

Mar.79 / Nov.80

XILOFENE, Soc. Portuguesa de Conservação de Materiais, Lda. (Grupo RHÔNE-POULENC). Adjunto de Direcção Adjunto do Director-Geral, com responsabilidade sobre todos os sectores da empresa (Produtos químicos para tratamento de madeiras).

Mai.78 / Fev.79

LIVRARIA BERTRAND, SARL Chefe de Vendas Responsável pelos sectores Pedagógico (livros e métodos audio-visuais para o ensino) e Vendas por Correio. 4 vendedores e 2 administrativos.

Mar.73 / Nov.75

ITT - GRUPO OLIVA/RABOR Chefe da Divisão de Publicidade e Promoção de Vendas Responsável pelas actividades publicitárias e promocionais das 4 empresas do Grupo: OLIVA- INDÚSTRIAS METALÚRGICAS, OLIVA COMERCIAL, RABOR-CONSTRUÇÕES ELÉCTRICAS e OLIVA ANGOLA. (Electrodomésticos, máquinas de costura, fundição em ferro, motores eléctricos, bombas de rega).

Dez.70 / Fev.73

KODAK PORTUGUESA, LTD - Chefe do Departamento de Publicidade e Relações Públicas Responsável pela elaboração e execução dos planos anuais do departamento. Produtos para fotografia, cinema, artes gráficas, radiologia, microfilmagem e audiovisuais. - Chefe do Centro de Formação Responsável pela formação interna (pessoal técnico e de vendas) e externa (retalhistas e profissionais de fotografia). Organização dos cursos, com funções docentes.

CURSOS E VISITAS DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL:

1988 - Curso ESTADO-MAYOR DE VENTAS Y DIRECCIÓN DE VENTAS, pela Escuela de Ciencias Sociales Aplicadas, Bilbau.
1979 - Seminário O GESTOR E AS MUTAÇÕES SOCIAIS, POLÍTICAS E ECONÓMICAS. CIFAG, Lisboa.         
Visita à sede da XYLOCHIMIE,s.a. (Grupo RHÔNE-POULENC), para estudo do sector comercial desta empresa. Paris.        
Participante no Seminário Anual da XYLOCHIMIE, s.a.. Vichy.
1977 - Curso TOP-MANAGEMENT BRIEFING, sobre técnicas de chefia e relações humanas na empresa. CTT/TLP, Lisboa.
1974 - Participante no ITT ADVERTISING SEMINAR. Tunis.
1973 - Participante no ITT EXHIBITS & AUDIO-VISUALS SEMINAR. Munique.        
Participante no ITT ADVERTISING SEMINAR. Copenhaga.
1972 - Membro da delegação portuguesa à PHOTOKINA. Colónia.        
Membro da delegação portuguesa ao KODAK POCKET INSTAMATIC LAUNCH MEETING. Estugarda.       
Participante no KODAK INDUSTRIAL PRODUCTS MARKETING MEETING. Londres.        
Participante, com palestra e defesa de tema, no KODAK ADVERTISING MANAGERS SEMINAR. Londres.



LITERÁRIO


Publicou:

Arcanjos e Bons Demónios (Hugin Editores, LisboaNov. 1996; 2.ª ed. Jun. 2002). Este livro foi adoptado na cadeira de Cultura Portuguesa e Brasileira, para estudo da guerra colonial portuguesa de 1961-75, e usado na cadeira de Tradução Português-Espanhol, da Universidade de Santiago do Chile. Reeditado por DG Edições, Linda-a-Velha, Set. 2011, integrado na colecção «Fim do Império», em 3.ª ed. prefaciada, aumentada, acompanhada de um CD contendo 198 fotografias do autor, legendadas com excertos do texto.

«A Prenda» (Hugin Editores, Lisboa, Dez. 2000), in Contos Eróticos de Natal, obra colectiva onde participaram, entre outros, José Jorge Letria, Jorge Guimarães, Luísa Monteiro e Miguel Roza (sobrinho de Fernando Pessoa). Conto.

AlcunhasGénese e Importância da Caricatura Verbal (Hugin Editores, Lisboa, Nov. 2003). Estudo linguístico.

«O Fado – Origens e evolução», in Brotéria, vol. 168, Maio/Junho 2009. Artigo.

Ao Fado tudo se canta? (DG Edições, Linda-a-Velha, Mai. 2010). Ensaio musicológico encomendado pelo Museu do Fado no âmbito da candidatura do Fado a Património da Humanidade. 364 págs., acompanhado de 3 CDs com 190 exemplos musicais. «É claramente um dos grandes marcos da bibliografia recente sobre o Fado» (Prof. Dr. Rui Vieira Nery, Jornal de Letras, 14/7/2010).

Portugal, País, Posada y Paraíso (DG Edições, 2011). Dois capítulos relativos às ilhas da Madeira e dos Açores. Livro em castelhano sobre as provícias portuguesas, de Ángel García Prieto.

Poetas Populares do Fado Tradicional (Imprensa Nacional – Casa da Moeda, 2014), em co-autoria com Francisco Mendes. Antologia dos poetas populares de Fado Tradicional até 1970, encomendada pelo Museu do Fado no âmbito da candidatura do Fado a Património da Humanidade.
 
Traduziu: 

Para Chaves Ferreira – Publicações, S. A.:
O Grande Livro da Vela, de Michel Deshors (1998), sendo coordenador e autor do apêndice sobre velejadores portugueses;
A Medicina na Pintura, de Alejandro Aris (2002);
O Vinho na Arte, de Monserrat Miret (2005);
As Ordens Militares na Europa Medieval, vários autores (2005);
Heróis e Heroínas da Aviação, de Bernard Marck (2007).

Para Hugin Editores, Lda.:
Os Templários, de Bernard Marillier (1998);
O Tarot, de Carole Sédillot (1999);
A Numerologia, de Zariell (1999);
Hierarquia e Democracia, de Julius Evola e René Guénon (2001);
A Cavalaria, de Bernard Marillier (2001);
A Sabedoria das Cores, de Frédéric Portal (2001);
Encontro Magik, novela policial escrita em inglês por Fernando Pessoa, acompanhada da correspondência deste com Aleister Crowley e outros (2001);

O Vinho e as Religiões, de Raymond Brunet (2002);
A Greve dos Eleitores, de Octave Mirbeau (2004);
15 Dicas para Ser Um Bom Esquerdista, de Jamie Glazov (2004);
O Dever de Blasfemar, de Pierre Gripari (2004);
A Viagem do Graal, de Bruno Favrit (2005).

Para DG Edições:
Contos – Ducia e media d’eles, de Aurora García Rivas (2010).

Foi:
Colaborador do jornal «Notícias do Mar». Redactor e editor do Boletim Informativo da Associação Nacional de Cruzeiros, de 1987 a 1998.
Vencedor, com a filha Marta, da 18.ª sessão do concurso «Quem Conta um Conto» (RTP 2, 1994).
Colaborador, com uma coluna de conto, do jornal «Elo», órgão da Associação dos Deficientes das Forças Armadas, em 1997.

Autor dos textos de apoio das seguintes edições discográficas de EMI–Valentim de Carvalho:  

Alfredo Marceneiro (col. «Biografias do Fado», 1997)    
Grande Noite de Fados (1997)    
Maria Teresa de Noronha (col. «Biografias do Fado», 1997)    
Carlos Ramos (col. «Biografias do Fado», 1998)    
Lucília do Carmo (col. «Biografias do Fado», 1998)    
Fernando Farinha (col. «Biografias do Fado», 1998)    
Hermínia Silva (col. «Biografias do Fado», 1998)    
O Melhor de José Nunes (2001)    
Tony de Matos (col. «Biografias do Fado», 2004)    
Max (col. «Biografias do Fado», 2004)    
Carlos Guedes de Amorim (col. «Biografias do Fado», 2004)

Autor dos textos de apoio dos CDs n.os 10 a 27 da colecção discográfica «O Fado», editada por Tugaland, Lisboa, publicada pelo Diário de Notícias entre Maio e Setembro 2012.

Autor da Nota Introdutória ao CD Amália - De porto em porto (Valentim de Carvalho, 2014), edição de inéditos de Amália cantando em castelhano, no México, nos anos 50, que ajudou a concretizar com o Prof. Dr. Miguel Ángel Vera Sepúlveda, da Universidade de Santiago do Chile, no âmbito da divulgação da sua teoria «O Género Musical Portuário».

Autor de letras e músicas de fados de Lisboa, cantados por Julieta Estrela, Teresa Tapadas, Linda Leonardo, Ana Margarida, Ana Marina, Rute Soares, Joana Cruz, Celeste Maria, Isabel Pinheiro, Carlos Zel, Rodrigo Costa Félix, Abel Coutinho, Nuno de Aguiar, André Ramos, Nuno Mata, José Manuel Castro, Carla Arruda, Daniela Giblott, Maria Emília, Fátima Fernandes, Miraldina do Carmo, Jorge Gonçalves, Lino Ramos, Dora Maria, Vítor Miranda, Sara Paixão, Sandra Correia, Leonel Moura, Ana Marina, Gil Costa, Ciça Marinho, José da Câmara.

A sua letra «Versículo da Mariquinhas» foi publicada na colectânea «Um Século de Fado» (Ediclube, 1999) e a do «Fado da Internet», gravada por Carlos Zel no CD «Com Tradição» (Movieplay, 2000), foi inserida no «Novo Dicionário de Calão», de Afonso Praça (Editorial Notícias, 2001).

Um texto crítico seu, sobre a peça teatral «Uma Questão de Tempo», de Jaime Salazar Sampaio, foi inserido na edição da obra, em 1999.

Outro texto crítico foi inserido no volume IV de «Teatro Completo», de Jaime Salazar Sampaio, como introdução à peça «A Esperança» (Imprensa Nacional – Casa da Moeda, 2005).

Prefaciou:
O Fogo, de Gabriele d’Annunzio (Hugin, 2002);
Vertigens de Lua Cheia, de João Sevivas (Hugin, 2002);
Fado e Tauromaquia no Século XIX, de António Manuel Morais (Hugin, 2003);
Hermínia Silva, de Vítor Duarte (ed. Autor, 2003).
Os Azulejos, o Fado e a Guitarra Portuguesa (Corda Seca, 2002);
Todos os Fados, de A a Z, de José Manuel Osório (Corda Seca, 2005).
El Fado, desde Lisboa a la Vida, de Ángel García Prieto et al. (DG Edições, 2007)
Contos – Dúzia e Meia Deles, de Aurora García Rivas (DG Edições, 2009)
Portugal, país, posada y paraiso, de Ángel Garcís Prieto (DG Edições, 2011)

Escreveu, a convite dos autores, o texto da contracapa de:
Dois Amores nas Torres Gémeas de Manhattan e outros contos, de Manuela Nogueira (sobrinha de Fernando Pessoa);
Sete Dias Diferentes, de Jorge Guimarães;
Calêndula, de Ariella Broquel Rosso.

Escreveu, a convite do autor, o texto introdutório de O Fado Operário no Alentejo – Sécs. XIX-XX, de Paulo Lima (Tradisom, 2004).

Apresentou, nos respectivos lançamentos ou apresentações, os seguintes livros:
Depressão?Não, obrigado!, de Mário de Noronha (Hugin, 1998);
Como Educar, Hoje, de Mário de Noronha (Hugin, 1998);
A Orelha Perdida de Van Gogh, de Rui Eduardo Paes (Hugin, 1998)
Como Modificar o Comportamento - 5, de Mário de Noronha (Plátano, 2000);
Tango Triste, de Luísa Monteiro (Hugin, 2000);
Crónicas do Futuro, de João Melo (Hugin, 2002);
Dois Amores nas Torres Gémeas de Manhattan, de Manuela Nogueira (Hugin, 2002);
Algumas Aventuras, de Vicente da Câmara (Hugin, 2002);
As Estrelas Invisíveis, de Miguel Seiça Leitão (Hugin, 2003);
Fado e Taruromaquia no Século XIX, de António Manuel Morais (Hugin, 2003);
Dicionário do Milénio Lusíada, de Manuel Gandra (Hugin, 2003);
De Médico e Louco, de Tudo um Pouco, de Miguel Roza (Hugin, 2003);
Coimbra à Guitarra, de Carlos Carranca (Edições MinervaCoimbra, 2003);
De Olhos Abertos, de Amândio Fontoura e Conceição Sampaio (Hugin, 2004);
Cadernos da Tradição - Ecos Portugueses da Atlântida, de Manuel Gandra (Hugin, 2004);
Re-criações Herméticas, de José Manuel Anes (Hugin, 2004);
O Fado Operário no Alentejo – Sécs. XIX-XX, de Paulo Lima (Tradisom, 2004);
Dos Dias Passados Nas Margens da Vida, de Amaral Jorge (DG Edições, 2009);
Fado – Mystérique de la Saudade, de Rémi Boyer (Arcano Zero, 2010);
Cumplicidades, de Jorge Roque (DG Edições, 2011);
Venturas e Aventuras em África, de Cristina Malhão-Pereira (Civilização, 2007).

Escreveu, por encomenda da entidade ofertante, as quintilhas populares inscritas em objectos comemorativos oferecidos ao Arq.º Álvaro Siza Vieira e ao pintor Júlio Pomar (2001).

Concebeu e dirigiu, em Fevereiro 2002, o Seminário de Letristas, no Museu do Fado, Lisboa.

Em Agosto 2012 foi escritor/editor convidado a representar Portugal no encontro literário «Arcu Atlanticu», realizado em Gijón (Astúrias, Espanha), juntamente com os seus editados Ana Vidal, José Pedro Katzenstein e João Afonso Machado.   



MUSICAL


Fundador e teclista do grupo «Quinteto Académico», de 1960 a 1966. Gravou alguns discos com músicas de sua autoria e compôs música para filmes publicitários.

Autor e co-intérprete da música do filme Domingo à Tarde (realização de António de Macedo, sobre o romance homónimo de Fernando Namora, 1965).

Membro honorário da Estudantina Universitária de Lisboa, com a qual colaborou nos arranjos e execução de guitarra portuguesa de uma das faixas do CD Viva a Paródia (Vidisco, 1996).

Terceiro lugar, acompanhado pela filha Inês à viola, no Concurso de Guitarra Portuguesa das Festas da Cidade de Lisboa 1997.

Sócio da Academia da Guitarra Portuguesa e do Fado, de 1996 a 2001 (galardoado com o título de Sócio do Ano, em 1997).

Membro do Conselho Consultivo do Museu do Fado, da Câmara Municipal de Lisboa.

Sócio da Associação Portuguesa dos Amigos do Fado.

Sócio Honorário da Associação Benaventense dos Amigos do Fado.

Sócio Honorário da Asociación Amigos del Fado de Asturias  (Gijón, Espanha). 

Membro fundador da confraria fadista «Confraria do Velho Graal».

Membro da Sociedade Portuguesa de Autores.

Membro do júri, presidido pelo Prof. Dr. José Barata Moura, do Festival de Tunas Académicas Olissipo 98.

Membro do elenco da opereta fadista «O Julgamento do Chico do Cachené», de Linhares Barbosa, encenada por José Manuel Osório, no papel de Juiz e como autor e intérprete da letra do fado de abertura. Nove representações em 2000 e uma em 2001, esta no Grande Auditório do Centro Cultural de Belém, contracenando com Maria Amélia Proença, Julieta Estrela, Alice Pimenta, Filipe Duarte, António Rocha e Hélder Moutinho.

Em 28 de Fevereiro de 2001 actuou no «Espaço das 7 às 9», no Centro Cultural de Belém, cantando maioritariamente fados de sua autoria.

Como apresentador de espectáculos de fado, salientam-se:

No Teatro Municipal de S. Luís, o do Congresso Internacional de Física Molecular (Jun. 97);   
No Teatro Nacional D. Maria II, o da Sociedade Histórica da Independência de Portugal (Dez. 98);   
No Largo do Chafariz de Dentro, o espectáculo «Vozes Novas do Fado Antigo», integrado nas Festas da Cidade de 1998, e o do 2.º aniversário do Museu do Fado (Set. 99);
   
No Auditório do Museu do Fado, o de homenagem à fadista Argentina Santos (Out. 99);
No Grupo Sportivo Adicense, o de comemoração do centenário de nascimento do poeta Carlos Conde, organizado pelo Museu do Fado (Nov.2001).
No Forum Lisboa, o da Associação Portuguesa de Familiares e Amigos de Doentes de Alzheimer (Abr. 2000)
Idem, o de lançamento do livro Con-sensual-idade, da escritora e fadista Teresa Machado (Dez. 2001).
No Auditório do Museu do Fado, o de homenagem a Vicente da Câmara (2009).
Idem, o da retrospectiva da carreira do Prof. Mário Moniz Pereira, com a participação deste e cantando algumas das suas letras adaptadas ao momento. Esta apresentação foi repetida, apenas com gravações, n’Os Leões de Portugal e na Casa do Artista (2011).

Deu a ideia e colaborou na organização do I Colóquio Internacional de Fado, realizado em Novembro 2001 pelo Museu do Fado.

No sentido de preservar a técnica tradicional portuguesa de construção de instrumentos de corda e em parceria com o Dr. Luís Caçador, concebeu a Escola-Oficina de Instrumentos Musicais de Oeiras, com o apoio da respectiva Câmara Municipal, onde leccionou de Setembro de 2001 a Outubro 2002, juntamente com Gilberto Grácio, Manuel Domingos, Luís Caçador e Carlos Alves.

Em 13 de Novembro de 2002 voltou a apresentar-se no «Espaço das 7 às 9», no Centro Cultural de Belém.

Em Novembro de 2002 gravou, como intérprete, 3 faixas do CD Lisboa em Vários Tons, do qual foi compositor de 6 músicas, tendo uma delas (Cuidado, Louca Gaivota) sido considerada Fado Tradicional, incluído na catalogação organizada e publicada por José Manuel Osório, que lhe deu o nome de «Fado Daniel».

Em Novembro 2003 integrou a homenagem póstuma a Carlos Zel feita na Grande Noite do Fado desse ano, no Teatro Municipal de S. Luís, cantando o «Fado da Internet», de sua autoria.

Em 16 de Abril de 2004, a convite da Asociación Amigos del Fado de Asturias, fez a conferência «Recordar Alfredo Marceneiro», na Sala de Actos do Instituto Jovellanos de Cultura, Gijón, Espanha.

Em Novembro 2004 foi o fadista convidado para complementar a palestra de Arlette Pereira sobre o poeta Armando Neves, do ciclo organizado pela APAF, no Museu do Fado, em Lisboa.

Em 10 de Junho de 2005 apresentou, em francês, o espectáculo e cantou, juntamente com Julieta Estrela, no jantar de encerramento do Festival Éclats de Voix, em Auch, França. Este festival anual de música clássica dedicado ao canto teve nesse ano o Romantismo como tema. Produziu também o texto sobre as relações entre o Fado e este movimento estético, usado nas conferências de imprensa da Organização e, posteriormente, no catálogo do festival.

Em 2005 foi a figura estudada no trabalho final da cadeira de Etnomusicologia elaborado por Fernanda Lopes, aluna do 3.º ano do Departamento de Ciências Musicais da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, intitulado «Com Tradições no FadiStar – Um estudo de caso» (243 págs.) e classificado com 18 valores.

Em parceria com Teresa Machado, apresenta regularmente (ver, nesta página, «Espectáculos»):

O Fado Explicado e Cantado, espectáculo-conferência em inglês, francês, castelhano ou italiano, concebido para audiências estrangeiras. Entre outros locais, foi apresentado no Centro de Congressos do Estoril (2002); no auditório da União das Associações Comerciais de Lisboa e no Pátio Alfacinha (2003); no Hotel Albatroz, Cascais, e no Instituto Franco-Português (2004); na Embaixada de França, na Casa das Artes de Famalicão, no Grande Auditório do Centro Cultural de Belém, no Grande Auditório da CULTURGEST e no auditório do INFARMED (2005); no VI Festival de Fados de Castilla y León, Zamora, Espanha, e nos cine-teatros de Ericeira e Malveira (2008); no Hotel Inglaterra, Estoril, para uma associação de holandeses residentes em Porugal (2010); no Hotel Altis, Lisboa, para um congresso do IST e no Centro Multiusos Pumarín (Gijón, Espanha) (2012).

Nós é que Pomos a Mesa – Fado, Poesia e Humor, estreado em Maio de 2005 no Grande Auditório da CULTURGEST (Lisboa) e apresentado no Cine-Teatro de Benavente .
 
Em parceria com Vítor Duarte, neto de Alfredo Marceneiro, apresentou e cantou, em 2005 e 2006, o espectáculo-diaporama “Fado em Movimento”, onde são evocados Alfredo Marceneiro e Hermínia Silva. Em 2006, em Olhão, foram acrescentados Vicente da Câmara e Paulo de Carvalho, com a participação pessoal dos dois últimos. Em parceria com Manuela Cavaco, planeou e actuou no espectáculo de Fado oferecido ao Presidente da Câmara de Toulouse (França) pelos empresários portugueses da região, em 2007.
 
Em 2007 foi o convidado de um programa de uma hora, sobre Fado, na «Radio Vetusta», estação oficial do município de Oviedo (Espanha).
 
Em 2008, a convite da Universidade de Oviedo (Espanha), deu duas aulas sobre Fado no curso «El Noroeste Ibérico - Un espacio proyecto atlántico».

Em 2010 substituiu, à última hora, Ana Sofia Varela numa «Visita Cantada» ao Museu do Fado, por impossibilidade inesperada da fadista.

Em 2012 voltou a desempenhar, no Teatro Ibérico, Lisboa, durante duas dezenas de repreentações, o papel de Juiz na opereta fadista O Julgamento do Chico do Cachené, de Linhares Barbosa, com encenação de Laureano Carreira, da qual foi o director musical, contracenando com Maria Emília e Nuno de Aguiar. Esta peça foi escolhida para encerrar o Ano Judicial Português, numa representação especial efectuada no Centro de Estudos Judiciários de Lisboa.

Em 2014 foi, durante 4 semanas de Agosto e Setembro, a figura do programa de Teresa Lopes Alves «Brincos de Princesa», sobre poetas do Fado.

Em 24 de Outubro de 2015 cantou, com Ana Lains e Pedro Galveias, num espectáculo de Fado no «Restaurant Lusitano», em Fall River (EUA).

Como investigador e conferencista, apresenta regularmente as palestras «Os Sons e as Palavras do Fado de Lisboa», «Aspectos da Poética de Carlos Conde», «Recordar Alfredo Marceneiro», «Recordar Maria Teresa de Noronha», «Arquivos do Fado – Caracterizações», «O Fado e outras Músicas», «O Fado e o Mar», de que se salientam:    

A primeira conferência feita no Museu do Fado, em 1998 («Recordar Maria Teresa de Noronha»);
No Rotary Club da Moita, «O Fado e outras Músicas», em 19/5/2000;
Na Biblioteca Municipal de Lagoa, «O Fado e outras Músicas», em 2011;
No Museu de Marinha, «O Fado e o Mar», em 21/12/2013;
Na Biblioteca Municipal de Lagoa, «O Fado e o Mar», em 27/6/2014;
Na Universidade de Rutgers (Newark, EUA), «O Fado e outras Músicas», em 29/4/2014;
Na Universidade de Brown (Providence, EUA), «O Fado e o Mar», em 2/5/2014.

Ocasionalmente, realiza sessões e colóquios de divulgação de Fado, em instituições, escolas e universidades, com exemplos cantados, pelo próprio e por convidados.

 

BIOGRÁFICO


NASCIMENTO: 28 de Setembro de 1943, Lisboa.

ESTADO CIVIL
: Casado (1970), 2 filhas (1971 e 1974), 3 netos (1999, 2002 e 2007).

HABILITAÇÕES ESCOLARES
: 7º ano do liceu, alínea a). Frequência do 4.º ano da Faculdade de Letras de Lisboa (Românicas), de 1963 a 1967.

CONHECIMENTO DE LÍNGUAS
:

Inglês - Fluente, falado e escrito.
Francês - Fluente, falado e escrito.
Espanhol - Fluente, falado e escrito.
Italiano - Compreensão total. Conversação limitada.
 
HABILITAÇÕES FUNCIONAIS:

Carta de condução de ligeiros (1965).
Carta de Patrão de Costa (1974).
Brevet de pára-quedista civil (1981).
Licença de piloto de pára-pente (1995).

PASSATEMPOS:

Música. Fotografia. Membro da Direcção da Associação Nacional de Veleiros de Cruzeiro, de 1985 a 1997, da qual é Sócio Honorário. Desportos praticados: equitação, basquetebol, atletismo, vela, pára-quedismo, pára-pente.

SERVIÇO MILITAR:

Cumprido de 1967 a 1970, como Alferes Miliciano de Infantaria. 2.º lugar no Curso de Oficiais Milicianos (1967, 600 cadetes). Classificação de tiro: Atirador Especial. Membro da equipa de demonstrações da Escola Prática de Infantaria. Comissão de serviço de 2 anos em Angola, comandando um pelotão de Caçadores e três Grupos Especiais de tropa indígena. Louvado pelo Comandante da Região Militar de Angola, por acções em campanha.