Imprimir esta página

Lisboa, Lis... má

Letra: Daniel Gouveia

Música: Daniel Gouveia

Guitarra: Luís Petisca.   Viola: Armando Figueiredo.   Viola Baixo: Filipe Vaz da Silva

(CD Até Sempre, Sr. Fado, Faixa 14, Companhia Nacional da Música, Lisboa, 2014.)

 

LISBOA, LIS… MÁ

Lisboa, minha Lisboa
Às vezes boa
Às vezes má
Dás abrigo a tanta gente
Que a gente sente
Não ser de cá
 
Lisboa, minha Lisboa
Teu fado soa
A dor e saudade
E entre tanto pandemónio
Já é Património
Da Humanidade.
 
     Tens mil casinhas às cores
     Jardins com flores
     Da Cultura um Centro em
     Belém
     Nos passeios há vidrão,
     Pilhão, papelão
     E cocó de cão
     Também
 
     Deslumbras com belas vistas
     Milhões de turistas
     Que comem pastéis de
     Belém
     E azulejos tão bonitos
     Que uns selvagenzitos
     Borram com grafitos
     Também
 
Lisboa, minha Lisboa
Às vezes boa
Às vezes má
Parece que uma pessoa
Se sente à toa
Ao deus-dará
 
Lisboa, minha Lisboa
Fazes com que doa
A nossa cabeça
Com mil carros em manobras
Buracos e obras
Em cada travessa
 
     Tens Pessoa e os heterónimos
     Até os Jerónimos
     E a famosa Torre em
     Belém
     Sem magalas nem sopeiras
     Docas sem peixeiras
     Mas com bebedeiras
     Também
 
     Há por cá um Presidente
     Que preside à gente
     E é residente em
     Belém
     Mas num palácio em São Bento
     Tens um Parlamento
     Sem entendimento
     Também
 
Lisboa, minha Lisboa
Às vezes boa
Às vezes má
Tanto contraste é a prova
De seres velha e nova
De há séculos pra cá
 
Qualidades e defeitos
São marcas, são jeitos
De uma tradição
P’ra mim serás sempre boa
Lisboa, Lisboa
Do meu coração!